Saúde bucal da criança indígena: estudo em uma Reserva Indígena da Amazônia

Dimitra Castelo Branco, Antonio Maria de Souza Santos, Liliane Silva do Nascimento

Resumo


Objetivo: Identificar e descrever a condição de saúde bucal de crianças pertencentes à etnia Gavião, habitantes da Reserva Indígena Mãe Maria, Bom Jesus do Tocantins, no Estado do Pará, considerando-se aspectos antropológicos do processo saúde-doença desse povo. Materiais e Métodos: Um estudo transversal foi conduzido com 93 crianças indígenas de 2 a 8 anos, de ambos os sexos e habitantes da Reserva. Exames clínicos foram realizados, analisando-se a prevalência de cárie dentária e qualidade da higiene bucal e a determinação dos índices CPO-D e Índice de Higiene Oral Simplificado (IHOS). Para a avaliação socioeconômica, de hábitos de higiene e alimentares foram aplicados questionários em forma de entrevistas aos responsáveis. Testes do Qui-quadrado e de Wilcoxon foram utilizados para analisar a associação entre variáveis, considerando-se valor de p ≤ 0,05.  Resultados: O CPO-D médio foi de 5. Verificou-se que 10,7% dos examinados estavam livres de cárie. O percentual do componente “cariado” foi maior que os demais componentes do índice para ambos os sexos. O IHOS médio encontrado foi de 2,3, não diferindo quanto ao sexo. Encontrou-se associação entre as varáveis: CPO-D/ceo-d e experiência de dor (p ≤ 0,02); CPO-D/ceo-d e o IHOS (p ≤0,0001) e entre idade e IHOS (p ≤ 0,0001). Evidenciou-se, portanto, alta prevalência de cárie e qualidade regular de higiene bucal entre os estudados. Conclusão: As crianças indígenas estudadas possuem índice acima da média nacional e regional, no que tange a doença cárie, quando comparado aos resultados nacionais aos 12 anos de idade. Os impactos trazidos pelo contato com a sociedade branca podem ter relação com a condição atual de saúde bucal desse povo.

Descritores: Saúde de populações indígenas; Cárie dentária; Higiene bucal; Saúde bucal.


Referências


(01) Coimbra Jr CEA, Santos RV, Escobar AL, organizadores. Epidemiologia e Saúde dos Povos indígenas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/ABRASCO; 2003.

(02) Santos MAS, Vasconcelos MG. Saúde Indígena. Amazônia (Jornal O Liberal). Belém: RM Graph; 2008.

(03) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BR). Censo Demográfico de 2010: Características Gerais dos Indígenas: Resultados do Universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

(04) Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BR). Os indígenas no censo demográfico: primeiras considerações no quesito cor ou raça. Rio de Janeiro: IBGE, 2012 [citado 2017 Dez 10]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/indigenas/indigena_censo2010.pdf.

(05) Moimaz SAS, Moimaz NAS, Garbin CAS, Júnior EB, Souza JEA. Percepção de saúde bucal em uma comunidade indígena no Brasil. Rev Faculdade Odontol Lins. 2001; 13(1): 60-5.

(06) Basta PC, Orellana JDY, Arantes R. Perfil Epidemiológico dos povos indígenas do Brasil. In: Garnelo L, Pontes AL, organizadores. Saúde Indígena: uma introdução ao tema. Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, Ministério da Educação; 2012 p. 60-106.

(07) Brandão MEM. Promoção de Saúde e Prevenção: Saúde Bucal. In: Yamamoto RM, organizador. Manual de atenção à saúde da criança indígena. Brasília: Fundação Nacional de Saúde; 2004. p. 57-64.

(08) Arantes R. Saúde bucal dos povos indígenas no Brasil: panorama atual e perspectivas. In: Coimbra Jr. CEA, Santos RV, Escobar AL, organizadores. Epidemiologia e Saúde dos Povos indígenas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/ABRASCO; 2003. p. 49-72.

(09) Arantes R, Frazão P. Cárie dentária entre os povos indígenas do Brasil: implicações para os programas de saúde bucal. Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva. 2013; 7(4): 169-79.

(10) Carneiro MCG, Santos RV, Garnelo L, Rebelo MAB, Coimbra Jr. CEA. Cárie dentária e necessidade de tratamento odontológico entre os índios Baniwa do Alto Rio Negro. Cien Saude Colet. 2008; 13(6): 1895-1992.

(11) Alves Filho P, Santos RV, Vettore MV. Saúde bucal dos índios Guaraní no Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saude Publica. 2009; 25(1): 37-46.

(12) Maurício HA. A saúde bucal do povo indígena Xucurú na faixa etária de 10 a 14 anos [dissertação de mestrado]. Recife (PE): Centro de pesquisas Aggeu Magalhães da Fundação Oswaldo Cruz; 2012.

(13) Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União [Internet]. 2013 jun 13 [citado em 2016 ago 15];1:59. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

(14) Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Norma Operacional no 001/2013. Brasília, DF: Conselho Nacional de Saúde; 2013 [citado em 2016 ago 15]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/cns%20%20norma%20operacional%20001%20-%20conep%20finalizada%2030-09.pdf.

(15) Ministério da Saúde (BR). SB Brasil 2010: Manual da Equipe de Campo. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

(16) Alves Filho P, Santos RV, Vettore MV. Fatores associados à cárie dental e doença periodontal em indígenas da América Latina: revisão sistemática. Rev Panam Salud Publica. 2014; 35(1): 67-77.

(17) Ministério da Saúde (BR). SB Brasil 2010: Manual da Equipe de Campo. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

(18) World Health Organization. Oral health surveys: Basic methods. 5a ed. Geneva: WHO; 2013.

(19) Narvai PC, Castellanos RA, Frazão P. Prevalência de cárie em dentes permanentes de escolares do município de São Paulo-SP, 1970-1996. Rev Saude Publica. 2000; 34(2): 196-200.

(20) Bertanha WFF, Cavalcante GMS, Cavalcanti LA, Arruda TA, D’Avila S. Atenção à saúde bucal nas comunidades indígenas: evolução e desafios – uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. 2012; 16(1): 105-12.

(21) Fundação Nacional de Saúde (BR). Diretrizes para a atenção à saúde bucal nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas: manual técnico. Brasília: FUNASA, 2007.

(22) Ministério da Saúde (BR). Secretaria Especial de Saúde Indígena. Diretrizes do componente indígena da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: SESAI, 2011.

(23) Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Projeto SB Brasil 2010: Condições de saúde bucal da população brasileira em 2010: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

(24) Coimbra Jr. CEA, Santos RV, Arantes R. Saúde bucal na população Xavánte de Pimentel Barbosa, Mato Grosso, Brasil. Cad Saude Publica. 2001; 17(2): 375-84.

(25) Bashirian S et al. Association of caries experience and dental plaque with sociodemographic characteristics in elementary school-aged children: a cross-sectional study. BMC Oral Health. 2018.

(26) Ferraz I. Gavião. In: Ricardo CA, organizador. Povos Indígenas do Brasil – Sudeste do Pará. São Paulo: CEDI; 2000. p. 53-98. Entra depois

(27) Dos Santos VF. Reserva Mãe Maria: A construção do espaço físico e simbólico na aldeia dos Gaviões Parkatêjê (1966-2010) [dissertação de mestrado]. Vassouras (RJ): Universidade Severino Sombra; 2012.

(28) Capelli JDS, Koifman S. Avaliação do estado nutricional da comunidade indígena Parkatêjê, Bom Jesus do Tocantins, Pará. Cad. Saude Publica. 2001; 17(2): 433-7.

(29) Tumang JÁ, Piedade EF. Cárie dental, doenças periodontais e higiene oral em indígenas brasileiros. Bol Of Sanit Panam. 1968; 64:103-9.

(30) Pereira, SMC. Estudo epidemiológico em saúde bucal em uma comunidade Yanomami do Amazonas [dissertação de mestrado]. Manaus: Universidade Federal do Amazonas; 2007.

(31) Dumont AFS, Salla TJ, Vilela MBL, Morais PC, Lucas SD. Índice de necessidade de tratamento odontológico: o caso dos índios Xacriabá. Cien Saude Colet. 2008; 13(3):1017-22.

(32) Rihs LB, Cypriano S, Sousa MLR, Silva RC, Gomes PR. Dor de dente e sua relação com a experiência de cárie em adolescentes. RGO. 2008; 56(4): 361-5.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.