Reabilitação com prótese dentária total em idosos e melhoria na dimensão do OHIP

Jairo Evangelista Nascimento, Marinilza Soares Mota Sales, Efigênia Ferreira e Ferreira, Paula Karoline Soares Farias, Raquel Conceição Ferreira, Andrea Maria Eleutério de Barros Martins

Resumo


Objetivo: Avaliar os impactos consequentes das desordens bucais antes e após a reabilitação com prótese dentária total muco-suportada entre idosos edêntulos de Ibiaí-MG em 2012.

Métodos: Ensaio clínico controlado não randomizado com dois grupos de 36 idosos edêntulos cada, que foram entrevistados em dois momentos utilizando o instrumento Oral Health Impact Profile (OHIP). Entre as entrevistas, um dos grupos foi reabilitado com prótese dentária total, e o outro grupo foi reabilitado após as entrevistas. Os dados das duas entrevistas, antes e depois, foram comparados inter e intragrupos, utilizando testes estatísticos (intergrupos: Qui-quadrado e o “Teste U” de Mann-Whitney; intragrupos: Macnemar e o Teste de Wilcoxon) com auxílio do SPSS 17.0.

Resultados: Constatou-se que antes da intervenção não havia diferenças estatisticamente significantes entre os dois grupos. Após a intervenção, o grupo reabilitado apresentou redução nos impactos consequentes das desordens bucais nas dimensões da saúde bucal ao se comparar com seus dados antes da reabilitação ou com o grupo que não recebeu reabilitação. Verificou-se diminuição do impacto entre os reabilitados em quatro das sete dimensões do OHIP: desconforto psicológico e incapacidades psicológica, física e social. A reabilitação esteve associada à diminuição dos impactos consequentes das desordens bucais na maioria das dimensões do OHIP. Ao considerar a influência destes fatores na qualidade de vida dos idosos, o tratamento protético reabilitador parece ter uma influência positiva na trajetória da saúde dos mesmos.

Conclusão: Após a reabilitação houve redução nos impactos consequentes das desordens bucais. Políticas públicas devem ser readequadas para ampliar o acesso e a reabilitação protética dos idosos, pois, na maioria dos casos, o edentulismo e a falta de reabilitação podem enfatizar o descaso com a saúde bucal dos idosos e a despreocupação com a qualidade de vida dos mesmos.

Descritores: Arcada edêntula. Idoso. Política de saúde. Serviços de saúde para idosos.


Texto completo:

PDF

Referências


(1) Kandelman D, Petersen PE, Ueda H. Oral health, general health, and quality of life in older people. Spec Care Dent. 2008;28(6):224-36.

(2) Furtado DG, Forte FDS, Leite DFBM. Uso e Necessidade de Próteses em Idosos: Reflexos na Qualidade de Vida. Rev Bras Ciênc Saúde. 2011;15(2):183-90.

(3) Ministério da Saúde (Brasil). Projeto SBBrasil 2003: condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003. Resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde.

(4) Haugejorden O, Klock KS, Trovik TA. Incidence and predictors of self-reported tooth loss in a representative sample of Norwegian adults. Community Dent Oral Epidemiol. 2003;31:261-8.

(5) Andrade FB, Lebrão ML, Santos JL, Cruz Teixeira DS, Oliveira Duarte YA. Relationship between oral health -related quality of life, oral health, socioeconomic, and general health factors in elderly Brazilians. J Am Geriatr Soc. 2012; 60(9):1755-60.

(6) Slade GD. Derivation and validation of a short-form oral health impact profile. Community Dent Oral Epidemiol. 1997;25(4):284-90.

(7) Doundoulakis JH, Eckert SE, Lindquist CC, Jeffcoat MK. The implant-supported overdenture as an alternative to the complete mandibular denture. J Am Dent Assoc. 2003;134(11):1455-8.

(8) Silva-Junior MF, Fonseca EP, Batista MJ, Sousa MLR. Spatial distribuition of tooth loss in a population of adults. RGO, Rev Gaúch Odontol. 2017;65(2):115-20.

(9) Barros AWP, Porto E, Lima JFS, Brito NMSO, Soares RSC. Steps for biomodel acquisition through addtive manufacturing for health. RGO, Rev Gaúch Odontol. 2016;64(4):442-6.

(10) Duarte LR, Rabelo VA, Bonecker M, Castro L, Melo G, Cavalcanti VA. Avaliação da qualidade de vida em pacientes edêntulos totais reabilitados com implantes zigomáticos. ImplantNews. 2010;7(3a-PBA):183-90.

(11) Fleiss JL. Statistical methods for rates and proportions. New York: John Wiley Sons; 1981.

(12) Cicchetti DV, Volkmar F, Sparrow SS, Cohen D, Fermanian J, Rourke BP. Assessing the reliability of clinical scales when the data have both nominal and ordinal features: proposed guidelines for europsychological assessments. J Clin Exp Neuropsychol. 1992;14(5):673-86.

(13) World Health Organization. Oral health surveys: basic methods. 4th ed. Geneva: 1997.

(14) Oliveira BH, Nadanovsky P. Psychometric properties of the Brazilian version of the oral Health Impact Profile-Short form. Community Dent Oral Epidemiol. 2005; 33(4):459-67.

(15) Locker D, Quinõnez C. To what extent do oral disorders compromise the quality of life? Community Dent Oral Epidemiol. 2011; 39:3-11.

(16) Van Waas MA. The influence of clinical variables on patients’ satisfaction with complete dentures. J Prosthet Dent. 1990;63(3):307-10.

(17) Miotto MHMB, Barcelos LA, Velten DB. Avaliação do impacto na qualidade de vida causado por problemas bucais na população adulta e idosa em município da Região Sudeste. Ciênc Saúde Coletiva. 2012; 17(2):397-406.

(18) Aarabi G, John MT, Schierz O, Heydecke G, Reissmann DR. The course of prosthodontic patients’ oral health-related quality of life over a period of 2 years. J Dent. 2015;43(2):261-8.

(19) John MT, Slade GD, Szentpetery A, Setz JM. Oral health-related quality of life in patients treated with fixed, removable, and complete dentures 1 month and 6 to 12 months after treatment. Int J Prosthodont. 2004; 17(5):503-11.

(20) Kuo HC, Kuo YS, Lee IC, Wang JC, Yang YH. The association of responsiveness in oral and general health-related quality of life with patients’ satisfaction of new complete dentures. Qual Life Res. 2013; 22(7):1665-74.

(21) Baran I, Nalcaci R. Self-reported problems before and after prosthodontic treatments according to newly created Turkish version of oral health impact profile. Arch Gerontol Geriatr. 2011;53:99-105.

(22) Adam RZ, Geerts GA, Lalloo R. The impact of new complete dentures on oral health-related quality of life. SADJ 2007;62(6):264-6.

(23) Ferreira AAA, Piuvezam G, Werner CWA, Alves MSCF. A dor e a perda dentária: representações sociais do cuidado à saúde bucal. Ciên Saúde Coletiva. 2006; 11(1):211-8.

(24) Joshipura KS, Willett WC, Douglass CW. The impact of edentulouness on food and nutrient intake. JADA. 1996;127;459-67.

(25) Guimarães, MB, Rocha FR, Bueno RS, Blaya MBG, Hirakata LM. Impacto do uso de próteses dentárias totais na qualidade de vida de idosos. Rev Bras Qual Vida. 2013;5(1):31-8.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.