Impacto das consequências da cárie dentária não tratada na qualidade de vida de crianças de 08 a 10 anos de idade

Larissa Fróes Calixto, Verônica Oliveira Dias, Maria José Lages Oliveira, Naiara Gonçalves Fonseca Maia, Carolina de Castro Oliveira, Milene Aparecida Torres Saar Martins

Resumo


Objetivo: Avaliar o impacto da cárie dentária (lesões cariosas cavitadas/CPOD/ceo-d e lesões não-tratadas/PUFA) na qualidade de vida relacionada à saúde bucal (QVRSB) de crianças de 8 a 10 anos. Métodos: A qualidade de vida (QVRSB) foi medida pela versão brasileira do Child Perceptions Questionnaire-CPQ8-10 (Martins et al., 2009) de 30 crianças das Clínicas de Infantil da Universidade Estadual de Montes Claros. Os dados clínicos (CPOD/ceod e PUFA) e as entrevistas foram coletados por 5 examinadores calibrados. O Programa Estatístico das Ciências Sociais, versão 20.0 foi usado para a análise descritiva e bivariada. Resultados: Setenta por cento das crianças apresentaram experiência de cárie. Onze crianças apresentaram as consequências da doença não tratada. Na análise bivariada, a variável lesões cariosas cavitadas mostrou uma associação estatisticamente significante ao impacto negativo na qualidade de vida (QVRSB) destas crianças. Conclusão: Lesões cariosas cavitadas foram associadas à um alto impacto negativo na qualidade de vida relacionada à saúde bucal em crianças de 8 a 10 anos de idade. Políticas públicas de saúde para crianças em fase de dentadura mista devem ser encorajadas.

Descritores: Cárie dentária. Qualidade de vida. Criança. Índice CPO.


 


Referências


(01) Martello RP. Prevalência de cárie precoce e fatores associados em uma coorte de nascidos vivos de 2006, de áreas cobertas pela estratégia de saúde da família no município de Rondonópolis-MT. Juiz de Fora. Dissertação [Mestrado em Saúde Coletiva] - Universidade Federal de Juiz de Fora; 2010.

(02) Peres S, Bastos J. Perfil epidemiológico de cárie dentária em crianças de 12 anos de idade, residentes em cidades fluoretadas e não fluoretadas, na Região Centro-Oeste do Estado de São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2002;18(5):1281-8.

(03) Losso EM, Tavares MCR, Silva JYB, Urban CA. Cárie precoce e severa na infância: uma abordagem integral. J Pediatr, 2009;85(4),295-300.

(04) Brasil. Pesquisa Nacional de Saúde Bucal. SB Brasil 2010. Resultados Principais. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

(05) Organização Mundial da Saúde. Levantamentos básicos em saúde bucal. 4a ed. São Paulo: Santos, 1999.

(06) Andrade RG. Alterações de mucosa bucal em crianças pré-escolares: prevalência e fatores determinantes. Diamantina: UFVJM, 2011.

(07) Martins MT, Ferreira FM, Oliveira AC, Paiva SM, Vale MP, Allison PJ, et al. Preliminary validation of the brazilian version of the child perceptions questionnaire. Eur J Paediatr Dent. 2009 Sep;10(3):135-40.

(08) Martins-Júnior PA, Andrade RGV, Corrêa PF, Oliveira FF, Marques LS, Ramos-Jorge ML. Impact of earlychildhood caries on the oral health-related quality of life of preschool children andtheir parents. Caries Res. v. 47, n. 3, p. 211-218, 2013.

(09) Martins MT, Sardenberg F, Vale MP, Paiva SM, Pordeus IA. Dental caries and social factors: impact on quality of life in Brazilian children. Braz Oral Res. 2015;29(1):S1806-83242015000100310.

(10) Martins MT, Sardenberg F, Bendo CB, Vale MP, Paiva SM, Pordeus IA. Dental caries are more likely to impact on children's quality of life than malocclusion or traumatic dental injuries. Eur J Paediatr Dent. 2018 Sep;19(3):194-8.

(11) Martins MT, Sardenberg F, Bendo CB, Abreu MH, Vale MP, Paiva SM, et al. Dental caries remains as the main oral condition with the greatest impact on children's quality of life. PLoS One. 2017 Oct 5;12(10):e0185365.

(12) Jokovic A, Locker D, Tompson B, Guyatt G. Questionnaire for measuring oral health-related quality of life in Eight-to Ten-year old Children. Pediatr Dent. 2004 Nov-Dec;26(6):512-8.

(3) Cardoso L, Rösing C, Kramer P, Costa CC, Costa-Filho LC. Polarização da cárie em município sem água fluoretada. Cad Saúde Pública. 2003 jan-fev;19(1):237-43.

(14) Antunes JLF, Narvai PC. Políticas de saúde bucal no Brasil e seu impacto sobre as desigualdades em saúde. Rev Saúde Pública 2010;44(2):360-5.

(15) Narvai PC, Frazão P, Roncalli AG, Antunes JLF. Cárie dentária no Brasil: declínio, iniquidade e exclusão social. Rev Panam Salud Publica. 2006;19(6):385-93.

(16) Gomes, P. Impacto da cárie precoce severa na infância na qualidade de vida relacionada à saúde bucal de pré-escolares sob privação social. Natal. Dissertação [Mestrado em Saúde Pública] - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2013.

(17) Feitosa S, Colares V. As Repercussões da cárie precoce na infância na qualidade de vida de pré-escolares. Rev Ibero-Am Odontopediatria Odontol Bebê. 2003; 6(34):542-8.

(18) Ribeiro A, Oliveira A, Rosenblatt A. Cárie precoce na infância: prevalência e fatores de risco em pré-escolares, aos 48 meses, na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005 nov-dez;21(6):1695-700.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.