Ressignificação do Trabalho Docente ao Ensinar Ciências na Educação Infantil em uma Perspectiva Investigativa

Eliane Ferreira de Sá, Carla Maline, Ely Maués, Alessandra De Caux Souza

Resumo


Neste artigo analisamos o processo de aproximação de uma professora da Educação de uma abordagem investigativa do ensino de ciências. Para isso, levantamos duas questões: Como as atividades propostas pela professora foram se aproximando de uma perspectiva investigativa? Que deslocamentos de sentidos ocorrem na maneira como a professora compreende o ensino de ciências, ao longo de seu trabalho com as crianças? Os dados da pesquisa foram construídos a partir de uma observação participante, ao longo de oito meses, em uma turma de Educação Infantil de uma escola pública municipal. No percurso da investigação foram realizados vários encontros entre a professora e a pesquisadora para o planejamento e a avaliação das atividades de ensino. Além disso, foram construídos dados por meio: (i) de entrevistas feitas pela pesquisadora com a professora; (ii) dos registros que a professora produziu das atividades didáticas e seus resultados; (iii) das produções das crianças; (iv) do caderno de campo da pesquisadora; (v) de fotografias feitas durante a pesquisa. Os resultados mostram que, ao longo das aulas, a professora criou estratégias didáticas para envolver as crianças nas atividades propostas e acolheu demandas apresentadas pela turma. Desse modo, as crianças compartilharam curiosidades, fizeram observações de fenômenos, realizaram experimentos, desenvolveram sua imaginação e se relacionaram de forma cada vez mais dialogada com a professora e com seus pares. Ao interagir com as crianças e com a pesquisadora, a professora se deslocou de uma visão mais tradicional para uma abordagem mais investigativa do ensino de ciência.


Palavras-chave


Educação Infantil; Educação em Ciências; Ensino por Investigação; Formação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


Aquino, L. L. (2005) Professoras de Educação Infantil e saber docente. Revista TEIAS. 6(11–12), 1–12

Carlsen, S. (1991). Effects of new biology teachers’ subject-matter knowledge on curricular planning, Science Education, 75(6), 631–647.

Carvalho, A. M. P. (org.) (1998). Ciências no ensino fundamental: O conhecimento físico. Scipione.

Charpak, G. (1996). As ciências na escola primária: Uma proposta de ação. Inquérito.

Colinvaux, D. (2004). Ciências e crianças: Delineando caminhos de uma iniciação às ciências para crianças pequenas. Contrapontos. 4(1), 105–123.

Coutinho, F. A, Goulart, M. I. M., & Pereira, A. F. (2017). Aprendendo a ser afetado: contribuições para a Educação em Ciências na Educação Infantil. Educação em Revista, 33, e155748. https://dx.doi.org/10.1590/0102-4698155748

Derdyk, E. (1994). Formas de pensar o desenho. Desenvolvimento do grafismo infantil. – São Paulo: Scipione.

Dewey, J. (2002). A escola e a sociedade, a criança e o currículo. Lisboa: Relógio d’agua.

Eshach, H. (2006). Science literacy in primary schools and pre-schools. Springer: Dordrecht.

French, L. A., & Woodring, S. D. (2013). Science education in the early years. In Saracho, O. N. E. SpodekP, B. Handbook of research on the education of young children. (pp. 179–196). New York: Routledge,

Fumagalli, L. (1998). O ensino de ciências naturais no nível fundamental de educação formal: Argumentos a seu favor. In Weissmann, H. (Org.). Didática das ciências naturais: contribuições e reflexões. Porto Alegre: ArtMed.

Gelman, R., & Brenneman, K. (2004). Science learning pathways for young children. Early Childhood Research Quarterly, 19, 150–158.

Gil Pérez, D., Montoro, I. F., Carrascosa, J., Cachapuz, A., & Praia (2001). Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, 7(2), 125–153.

Golby, M., Martin, A., & Porter, M. (1995). Some researchers’ understanding of primary teaching: comments on Mant and Summers ‘Some primary school teachers’ understanding of the Earth’s place in the universe.’ Research Papers in Education, 10, 3, 297–302.

Goulart, M. I. M., & Roth, W-M. (2010). Engaging young children in collective curriculum design. Cultural Studies of Science Education.

Greenfield, D. B., Jirout, J., Dominguez, X., Greenberg, A., Maier, M., & Fuccilo, J. (2009). Science in the preschool classroom: A programmatic research agenda to improve science readiness. Early Education and Development. 5(3), 533–562.

Hodson, D. (1992). In search of a meaningful relationship: an exploration of some issues relating to integration in science and science education. International Journal of Science Education, 14(5), 541–562.

Kamii, C., & Devries, R. (1985). O conhecimento físico na educação pré-escolar: implicações da teoria de Piaget. Porto Alegre: Artes Médicas.

Lee, O. (1995) Subject matter knowledge, classroom management, and instructional practices in middle school science classrooms, Journal of Research in Science Teaching, 32(4), 423–440.

Lima, M. E. C. C., & Santos, M. B. L. (2015). Ciências da Natureza na Educação Infantil. Belo Horizonte: Fino Traço.

Lima, M. E. C. C., & Maués, E. (2006). Uma releitura do papel da professora das séries iniciais no desenvolvimento e aprendizagem de ciências das crianças. Revista Ensaio, 8(2), 161–175.

Lima, M. E. C. C., & Santos, M. B. L. (2013). Trilhas para ensinar ciências para crianças. Belo Horizonte: Fino Traço.

Metz, K. E. (1995). Reassessment of developmental constraints on children’s science instruction. Review of Educational Research, 65, 93–127.

Monteira, S. F., & Jiménez-Aleixandre, M. P. (2015). The Practice of Using Evidence in Kindergarten: The Role of Purposeful Observation. Journal of Research in Science Teaching, 52(6), 1–27. https://dx.doi.org/10.1002/tea.21259

Munford. D., & Lima, C. M. E. C. (2007). Ensinar Ciências por investigação: Em que estamos de acordo? Revista Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências. 9(1), 89–111. https://dx.doi.org/10.1590/1983-21172007090107

Neves, V. F. A., Munford, D., Coutinho, F. A., & Souto, K. C. N. (2017). Infância e Escolarização: a inserção das crianças no ensino fundamental. Educação e Realidade, 42, 345–369.

Oliveira, V. B. (org) (2000). O brincar e a criança do nascimento aos seis anos. Petrópolis, RJ: Vozes.

Piaget, J. (1970). Epistemologia Genética. Abril Cultural.

Piekny, J., Grube, D., & Maehler, C. (2014). The development of experimentation and evidence evaluation skills at preschool age. International Journal of Science Education 36(2), 334–354.

Roth, W. M., Goulart, M. I., & Plakitsi, K. (2013). Science Education during early childhood: a Cultural-historical perspective. Heidelberg: Springer.

Sá, E. F. Discursos de Professores sobre Ensino de Ciências por Investigação. 1ª. ed. São Paulo: Novas Edições Acadêmicas.

Sá, E. F., Lima, M. E. C. C., & Aguiar, O. G. (2011). A construção de sentidos para o termo ensino por investigação no contexto de um curso de formação. Investigações em Ensino de Ciências. 16(1), 72–102.

Sandoval, W. A. (2005). Understanding Students’ Practical Epistemologies and Their Influence on Learning Through Inquiry. Science Education, 89(4) 634–656.

Sandoval, W. A., Sodian, B., Koerber, S., & Wong, J. (2014) Developing Children’s Early Competencies to Engage With Science, Educational Psychologist, 49(2), 139–152. https://dx.doi.org/10.1080/00461520.2014.917589

Sasseron, L. H., & Carvalho, A. M. P. (2008). Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em Ensino de Ciências, 13(3), 333–352.

Schoon, K. J., & Boone, W. J. (1998). Self-Efficacy and alternative conceptions of science of preservice elementary teachers. Science Education, 82(5), 553–568.

Viecheneski, J., & Carletto, M. (2013). Por que e para quê ensinar ciências para crianças. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Tecnologia, 6(2), 213–227.

Vygotsky, L. S. (1991). Pensamento e Linguagem. Rio de Janeiro: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (1996). A formação social da mente. Rio de Janeiro: Martins Fontes.

Vygotsky, L.S. (2001). A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes.




DOI: https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2018183993

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Eliane Ferreira de Sá, Carla Maline, Ely Maués, Alessandra De Caux

Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências (RBPEC) - e-ISSN: 1984-2686

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Licença Creative Commons