Um Estudo do Estado da Arte Sobre a Utilização do Lúdico em Ensino de Química

Márlon Herbert Flora Barbosa Soares, Edna Sheron da Costa Garcez

Resumo


O presente trabalho apresenta um estudo bibliográfico das pesquisas acadêmicas desenvolvidas em jogos e atividades lúdicas no ensino de química no país. Analisamos produções acadêmicas de programas de pós-graduação, artigos de periódicos e publicações em congressos da área. Foram selecionados teses e dissertações do Banco de Teses da CAPES e da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações do IBICIT; artigos dos periódicos: Química Nova, Química Nova na Escola, Revista Brasileira de Ensino de Química e Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências; e trabalhos publicados nos Encontros Nacionais de Ensino de Química, nas Reuniões Anuais da Sociedade Brasileira de Química e nos Encontros Nacionais de Pesquisa em Educação em Ciências. Visando uma contribuição para a fundamentação teórica do lúdico na prática docente, primeiramente abordamos a natureza do jogo, apresentando inicialmente definições referentes ao termo jogo, seguido pelas teorias psicológicas baseadas em suas funções de finalidade biológica, no desenvolvimento cognitivo e psíquico do indivíduo, finalizando com as características formais sobre o jogo. Visualizando o quadro geral das produções e as características que têm se destacado em seu desenvolvimento, compreendemos que o campo de pesquisa sobre o lúdico no ensino de química ainda está em estruturação e necessita de um maior aprofundamento teórico, bem como de uma melhor compreensão do potencial do lúdico e a importância e necessidade de sua exploração frente a discussões e aprofundamentos teóricos no ensino e química. 


Palavras-chave


Jogos e Atividades Lúdicas; Ensino de Química; Estado da arte.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Márlon Herbert Flora Barbosa Soares, Edna Sheron da Costa Garcez

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional