Fundamentos Pedagógicos para o Uso de Simulações e Laboratórios Virtuais no Ensino de Ciências

Helder de Figueiredo e Paula

Resumo


Como podemos interpretar possíveis contribuições dos aplicativos de computador que contêm animações, simulações e laboratórios virtuais a partir de uma perspectiva sócio-histórica do ensino e da aprendizagem? Como identificar as potencialidades e as limitações desses aplicativos? Com quais demandas os estudantes são confrontados durante o trabalho de interpretação de representações complexas por meio das quais fenômenos e modelos das ciências são apresentados nesses aplicativos? Quais critérios podem ser usados para distinguir animações, simulações e laboratórios virtuais? Como podemos usar aplicativos que contêm simulações e laboratórios virtuais em uma perspectiva de ensino por investigação e por que vale a pena seguir essa orientação? Essas questões são apresentadas e discutidas ao longo das várias seções que compõem este artigo e nas quais nós apresentamos e utilizamos um conjunto de referenciais teóricos cujo valor para o enfrentamento das questões nós procuramos sustentar. Como estratégia argumentativa, recorremos à análise de alguns aplicativos disponíveis em sites bastante conhecidos por professores e por pesquisadores que se dedicam ao ensino e à aprendizagem das ciências.


Palavras-chave


Ação mediada; Mediação pedagógica; Animações, simulações e laboratórios virtuais; Inscrições didáticas; Ensino de Ciências por Investigação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Helder de Figueiredo e Paula

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional