O Jovem Brasileiro e a Ciência: Possíveis Relações de Interesse

Ana Maria Santos Gouw, Helenadja Santos Mota, Nelio Marco Vincenzo Bizzo

Resumo


A diminuição do interesse dos jovens pela ciência, observado em diversos países, tem provocado um movimento em prol de se ouvir o que os estudantes têm a dizer das aulas de ciências e suas perspectivas profissionais. Um desses movimentos é o projeto “The Relevance of Science Education” (ROSE), implementado em mais de 40 países e objeto de estudo do trabalho aqui descrito. Neste sentido, este artigo tem como objetivos verificar qual o interesse global dos jovens brasileiros pela ciência escolar, pela carreira científica e por um emprego que lide com tecnologia avançada. O projeto ROSE foi implementado no Brasil, por meio de uma amostra de representatividade nacional, em 2010, envolvendo 2.365 estudantes, oriundos de 84 escolas, através de um questionário composto por 245 itens, cujas respostas são expressas em uma escala de Likert de 4 pontos. Os dados obtidos revelam que o jovem brasileiro possui interesse pela ciência escolar, porém pouco interesse em seguir a carreira científica. Já em relação a um emprego que lide com tecnologia avançada, observa-se interesse, em especial dos meninos. A
pesquisa internacional apontou que há relação entre o IDH dos países pesquisados e o interesse pela ciência: quanto maior o IDH, menor o interesse. Os resultados obtidos indicam a necessidade de uma reflexão sobre as eventuais ações que podem ser tomadas com o intuito de estreitar a lacuna existente entre o interesse pela ciência escolar e pela carreira científica; e de buscar compreender os motivos deste distanciamento.

 


Palavras-chave


Jovens; interesse pela ciência; carreira científica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Ana Maria Santos Gouw, Helenadja Santos Mota, Nelio Marco Vincenzo Bizzo

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional