O tempo e o pensamento: a anomalia anacrônica como elemento de propulsão para a consciência crítica no filme “Violência Gratuita”

Ana Paula Oliveira, Thiago Henrique Ramari

Resumo


O presente artigo visa busca compreender as relações entre o uso do tempo produzidofeito pelo cinema e os efeitos que este o mesmprovoca o produz na audiência, tomando como objeto de análise   a partir do  o longa-metragem “Violência Gratuita” (1997), do cineasta austríaco Michael Haneke. Para tanto, utiliza-se como base a teoria cinematográfica de Deleuze (1983; 1990) e analisa-se uma sequência do filme na qual a ocorrência da imagem-tempo estimula o pensamento crítico do espectador. Como resultado, pode-se afirmar que a síntese operada pelo diretor entre diferentes noções de tempo, sob a a partir da perspectiva de Badiou (2015), transforma o público em cúmplice de assassinatos e, provocando o engendramento da culpa e uma reflexão sobre o consumo de imagens de violência como entretenimento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.