Tempo e paisagem

Altamiro Sérgio Mol Bessa

Resumo


Este ensaio trata da paisagem como espacialização do tempo, que, quando apreendido nos raros jardins que  se insurgem no deserto paisagístico do mundo contemporâneo, pode  trazer novas possibilidades ao pensamento. Dialogando com filósofos, historiadores da paisagem e artistas, descobre-se como as duas distintas gêneses da paisagem, a de tradição chinesa e a ocidental, tratavam a questão do tempo e do espaço. A primeira dava ênfase  à paisagem como conciliação de opostos, um caminho a ser complementado pela imaginação, enquanto a segunda enfatizava os resultados. Tornada hoje hegemônica, a racionalidade ocidental coloca em campos distintos homem e natureza, tempo e espaço, configurando majoritariamente temporaneidades predatórias  que se impõem violentamente sobre as lentas temporalidades que  qualificam os lugares.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.